DOMÉSTICO – Empregador deve informar Governo sobre redução ou suspensão de trabalho doméstico

Publicado em: 09 de Abril de 2020 | Categoria: Sem categoria

O empregador que optou pela redução salarial ou suspensão do contrato de trabalho do empregado doméstico, deve comunicar ao Ministério da Economia a sua decisão no prazo de 10 dias, e caso não o faça, será o responsável pelo pagamento integral do trabalhador.

A obrigatoriedade consta na MP 936/2010 que permite a redução de jornada e salário e suspensão do contrato de trabalho desde que o empregador siga as regras impostas.

Comunicar Redução ou Suspensão

Para comunicar o Ministério da Economia o empregador deve:

Passo 1: Acessar o Site do Ministério da Economia e preencher o formulário clicando no botão “Quero me Cadastrar”, ou se já possuir cadastro, basta clicar no botão “Já Tenho Cadastro”.

Informar os dados pessoais: CPF, Nome, Data de Nascimento, Nome da Mãe, Estado de Nascimento; se for nascido no exterior, selecione “Não sou brasileiro”.

Trabalhadores devem preencher dados para solicitar auxílio emergencial

As informações serão validadas nas bases de dados do governo federal. Em seguida, você será direcionado para um questionário com cinco perguntas sobre sua vida laboral e previdenciária.

Após responder o questionário, receberá uma senha temporária que precisará ser trocada no primeiro acesso ao Portal Emprega Brasil.

Passo 2: após obter a senha provisória pelo sistema do governo, basta acessar o site do Governo, informar o CPF e logo em seguida sua senha cadastrada.

Benefício emergencial

O benefício pago pelo Governo para trabalhadores domésticos afetados é o chamado Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda. Ele é calculado com base no seguro-desemprego a que o trabalhador doméstico teria direito se fosse demitido.

 

Vale lembrar que o benefício emergencial pago pelo Governo é calculado com base no seguro-desemprego, mas não interfere nele. Ou seja, mesmo que o empregado receba o benefício durante redução de salário ou suspensão do contrato, caso seja demitido sem justa causa terá direito ao seguro-desemprego, desde que preenchidos os requisitos legais.

Notícias Empresariais

ECONOMIA - Caixa libera saque da 1ª parcela do auxílio a nascidos em maio

13/07/2020

Com um total de r$ 3,2 bilhões, o calendário para a retirada em dinheiro para o grupo de 4,9 milhões vai até o dia 18 de julho A Caixa libera nesta sexta-feira (10) o saque da primeira parcela do auxílio emergencial...

leia na integra

Mei - Como não acumular dividas na pandemia

13/07/2020

Desde a crise instaurada pelo avanço da pandemia do novo coronavírus, micro e pequenos empreendedores estão sofrendo com a queda de receita De acordo com a Confederação Nacional do Comércio de Bens,...

leia na integra

ECONOMIA - Receita alerta para retorno de obrigações adiadas na pandemia

13/07/2020

As empresas e os demais contribuintes devem estar atentos para o retorno de obrigações com o Fisco adiadas durante a pandemia do novo coronavírus. Tributos e declarações que haviam sido suspensos ou postergados voltam...

leia na integra

ECONOMIA - Abono Salarial do PIS pode pagar até R$ 2.090 para os brasileiros esse ano

10/07/2020

Uma boa novidade para quem não sacou o abono salarial do PIS/Pasep 2019. O governo reabriu o calendário de pagamentos para quem trabalhou em 2018 e não sacou o abono, no total 2,09 milhões de brasileiros ganharam uma nova...

leia na integra

ECONOMIA - Nascidos em maio podem sacar primeira parcela de auxílio emergencial

10/07/2020

Cerca de 400 mil beneficiários do auxílio emergencial, contemplados no terceiro lote do benefício, podem sacar hoje (10) os recursos da primeira parcela. O saque está liberado para os nascidos em maio. O auxílio,...

leia na integra

Obrigado pela visita!

Copyright (c) 2017 - Todos os Direitos Reservados -